Ferramentas poderosas baseadas em dados vêm revolucionando a maneira com que as empresas tomam decisões e captam novos talentos, com resultados amplamente positivos. Apesar disso, essas mesmas tecnologias também possuem desafios éticos e organizacionais.

A Inteligência Artificial (IA) e o Machine Learning (ML) têm ganhado mais adoção nas organizações, onde é aprimorado o talento humano, processamento de tarefas e concedendo aos usuários uma experiência diferenciada.  Essas ferramentas têm entre seus objetivos aumentar a produtividade realizando previsões para ajudar os usuários na tomada de decisões.

O rápido avanço das ferramentas baseadas em IA e ML irá beneficiar as empresas em duas frentes principais:

  • Força de Trabalho

Automatizar tarefas repetitivas e aumentar a produtividade, ou seja, com automação de algumas atividades os funcionários estarão mais livres para se concentrar em atividades que exigem mais criatividade.

  • Relacionamento com cliente

A probabilidade baixa de erro humano e redução do tempo de entrega de serviço e/ou produto, pode melhorar significativamente a satisfação do cliente.

A Inteligência Artificial e o Machine Learning possuem um grande impacto que percorre a área do marketing, recursos humanos até ao atendimento. A coleta e análise de dados com os sistemas conectados pode ajudar as organizações a sinalizar problemas da linha de produção antes da sua finalização.

Se futuramente você pensa em adotar importante ficar atento às seguintes questões:

  • Os modelos de IA que dão suporte às suas equipes serão criados com base nos dados disponibilizados a eles. Isso significa que os dados devem ser transparentes, precisos e confiáveis o suficiente para que você e seus colaboradores possam ter respaldo para tomar decisões.
  • Crie medições quantitativas de linha de base de seus processos atuais utilizando técnicas como análise de fluxo para identificar áreas com oportunidades significativas para automação, onde a IA e ML podem produzir os maiores ganhos potenciais.
  • Ter empatia com a equipe temerosa de que “os robôs tomem nossos empregos” e apoiá-los enquanto aprendem a trabalhar com algoritmos, deixando claro que o objetivo final é liberá-los para um trabalho mais gratificante e cerebral. Desenvolver planos claros de transição e progressão na carreira para que os colaboradores cresçam em funções habilitadas pela automação lidando com tarefas repetitivas.

Com a chegada de novas tecnologias e a grande adoção de IA e ML, vemos que as empresas estão mais autônomas e conscientes de como aplicar os dados levando em consideração os impactos sobre a equipe e a sociedade em geral.

O artigo foi baseado no relatório Looking Glass 2021 pela Consultoria thoughtworks